HindenBUR(N)g

11078184_783744708407135_5468081254755871274_n
The original imagem

Following the idea of Ghost of Hiroshima, I tried to do something similar with the 1914528_954182117997388_6407365587647222519_nHindenburg disaster. First, because people know I do like zeppelins, and second, because I found a meme on the incident, correlating it to Éris, THE goddess and Our Lady Discordja.

Após a ideia do Ghost of Hiroshima, eu tentei algo similar com o desastre de Hindenburg. Primeiro, porque pessoas sabem que eu gosto de zeppelins, e segundo, porque eu encontrei um meme sobre o incidente, correlacionando com Éris, A DeusA e Nossa Senhora Discordja.

The usual .tif with pixel order per channel on the image opening this post. Importing it as RAW data on audacity and using encode U-Law. And following the same ideia of ghost of hiroshima, applying echo with ‘0,3’ delay, and scaling its decay factor from ‘0,1’ to ‘1’.

O .tif de sempre, com ordem de pixel por canal, da imagem abrindo esse post. Importando como RAW data no audacity e usando codificação U-Law. E seguindo a mesma ideia do Ghost of Hiroshima, aplicando eco com ‘0,3’ de delay e aumentando seu Decay factor de ‘0,1’ para ‘1’.

zeppelin1
0,1 Decay Factor
zeppelin2
0,2 Decay Factor
zeppelin3
0,3 Decay Factor
zeppelin4.png
0,4 Decay Factor
zeppelin5
0,5 Decay Factor
zeppelin6
0,6 Decay Factor
zeppelin7
0,7 Decay Factor
zeppelin8
0,8 Decay Factor
zeppelin9
0,9 Decay Factor
zeppelin10
1 Decay Factor

As usual, a gif! / Como sempre, um gif!

hindenburng

 

Uma noite como essa…

Era uma noite, bem parecida com essa, na qual nos encontramos agora… Fria, sombria e assustadora. Estava eu, andando pelas ruas de minha cidade. Por algum motivo as luzes estavam todas apagadas, seria um Blackout?
Continuei a andar, em busca de minha cama, para falar a verdade, estava exausto! Mas minha casa ficava relativamente longe de onde eu estava. Então, saí de meu emprego mais cedo, por era sexta-feira e madrugada! Nunca me toquei que a caminhada de meu emprego a minha casa era tão longa. Parecia que esta noite, apenas nesta noite, tudo parecia distante. Meus passos não eram nada mais nada menos do que um suspiro superficial, minúsculo, quando comparado a imensidão do mundo, que agora me acolhia.
Não sei o que me assustava mais, o fato de eu ser um nada comparado com o tudo, ou o fato de algo estar me observando… Sim caros amigos, perto de mim, algo me observava, diria eu, que até estava me seguindo. Seus olhos, vermelhos, macabros, horripilantes a espreita, apenas esperando o momento, aquele maldito momento, entendem?
O que tal coisa procurava em mim? Seus olhos, furtivos seguiam-me a cada movimento. Piso em uma poça d’água e gotas pulam, assim como gotas pulam quando pessoas choram de dor… De uma dor sofrida, como uma facada. Os olhos, recuaram, estariam eles com medo da água? Que coisa tosca, Olhos assassinos e desesperados por dor terem medo de água.
Me senti mal, algo está acontecendo comigo. Comecei a espirrar e meus olhos a lacrimejar, teria alguma coisa haver com aqueles olhos. Estaria aquele demônio rogando alguma praga para cima de mim.
Corro, atônito, não há nada mais que eu saiba fazer. Ouço a criatura demoníaca fazer um chiado, estaria ela invocando demônios em sua língua diabólica? Ela me segue, com astúcia e rapidez.
“Fodeu!” Penso eu, ao me encontrar em um beco sem saída. Aqueles olhos, me observando, vermelhos da cor do sangue… Cada vez mais se aproximando… Solta o maldito chiado novamente, enrola-se em minhas pernas! E ronrona…
A criatura era apenas um gato preto, de olhos vermelhos e furtivos. Aquela criatura diabólica me seguiu apenas pelo fato de eu trabalhar em uma peixaria! Chutei-o para longe gritando:
“Criatura infernal, você me passou um susto do caralho!”
Depois de reflexão eu percebi, o chiado era um miado. A praga que me jogara era minha alergia. E eu aprendi a nunca mais pegar hora extra na peixaria!