5 – Memeys

Eu tinha esse amigo e ele era um memester, e ele se achava engraçado, porque afinal ele era engraçado e todo mundo dava risada. Ele fazia algo e hell yeah, e aí alguém falava algo assustador e mother of god, e aí ele trollava alguém e cool face.

Ele começou a trabalhar no Habbib’s, até porque, porque não, né? E aí de segunda à terça as esfihas eram em dobro no Habbib’s, de sexta à domingo as pizza eram em dobro no Habbib’s, e quando ele entrou foi tipo num piscar de olho que de quarta à quinta a piada era em dobro no Habbib’s. E todo mundo ria, kkkk esfiha, como assim esfiha, kkkkk. E aí ele meio Yao Ming e a galera ria, porque não rir, é o melhor remédio e todos ria, era engraçado, trabalhar num emprego bosta, recebendo um salário bosta, quem nunca.

O Snopp Dog uma vez disse algo assim, eu não me lembro, porque ele é meio meme, né? Vai saber, e esse amigo era todo smoke weed everyday, para-rara, tum tum tum tum. Não que ele fosse um canguru, porque ele não lutava boxe, ele nem lutava, mas também não era aqueles hippies nada a ver, que fuma maconha namastê com flor na barba.

Uma coisa que admiro, é que ele é tipo um Digimon, que digievolui com digicondições diginecessárias. E cada vez que os memeys mudavam, tava lá ele mudado. De uns meme nada-a-ver pra nóis hoje, ele já tava louco, porque ele sempre foi louco, não que seja necessário ressaltar isso, porque ter dodói na cabeça faz parte, ninguém tem problemas com autistas aqui, eu mesmo sou amigo desse meu amigo autista. Vai saber. Mas aí ele dava aquelas sarrada, porque era engraçado, mas aí não foi mais engraçado e ele parou de fazer isso, embora eu ainda ache engraçado, a gente precisa manter tradição, porque esse tipo de coisa une nossa tribo e a gente pode continuar aí memeando, com memes que nem tem graça porque já foram exacerbadamente utilizados, e aí ficou sem graça de uma forma cômica.

E tipo, a gente fica meio assim, em relação a essa situação, mas isso não deixa de ser verdade, você pode até perguntar pra esse amigo, ele vai confirmar, porque é tipo de coisa nada a ver com nada, que mantém a ligação covalente nesse mar de átomos pré-direcionados de forma aleatória e tal. Cê tá ligado o que eu tou querendo dizer?

Tipo, isso é o tipo de coisa que não se fala, mas que tem que ser dito. Não porque isso é um problema, mas a galera tem que se divertir, porque divertir é importante, né não? E é isso aí, a gente corre pra lá e pra cá, vacilando nisso e aquilo, testando disso e aquilo lá, e tá tudo certo. Essas pequenas coisas valem a pena, não que grandes coisas não valham a pena saca? E é isso aí, tudo tem que acabar com uma risada, kkkk.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s