Paz no Oriente

/*Poesia retirada de meu livro ‘Poesia Urbana e Outros Poemas Caóticos’, na época em que escrevi a represália contra os Palestinos era grande. Faço esta postagem como uma dedicatória a todos muçulmanos que sofrem com a Islamofobia (após os incidentes da Charlie Hebdo, ou seja lá como se chama isso), e também gostaria de dedicar a todos muçulmanos que sofrem com a ISIS e sua barbárie diária.*/

 

Paz no Oriente.

 

Ordem ou segmento,

Crise de momento;

O líquido vermelho escorre de vossas faces,

Bandeiras tremulam em nossas hastes.

O que diabos eles querem?

Não veem que a si mesmo ferem?

Balas, bombas e canhões.

Punhos, pedras e bastões.

 

Terra, Terra, minha Terra.

Terra minha e de mais ninguém.

Me diga porque todo ser humano erra?

Peço por favor que poupe alguém.

 

Ah lá, meu Senhor.

Por favor, projeta os fracos.

Senhor, senhor proteja os necessitados.

Ah lá, tenha dó de nossas almas.