Um apelo à razão: Motivos pelos quais os Separatistas são burros, mimados e não sabem do que estão falando.

Aah a democracia, ou ditadura da maioria, como preferir. Desde o começo dessa onda revolucionária,  vejo as pessoas citar essa bendita (ou maldita?) palavra: democracia. Se perguntar a um partidário do PT, o que é democracia, ele dirá: “Oras, democracia é o poder na mão do povo”. Caso você dirija essa pergunta a um partidário do PSDB, terá como resposta: “Essa é uma pergunta fácil, a democracia é uma forma de governo onde as pessoas elegem seus representantes, que te dão escolhas, que você tem a obrigação de seguir”. Parabéns, você é bom em memorizar o que as pessoas dizem, logo: já pode se formar no ensino médio (A.K.A. se formar em enchimento de linguiça), ou se eleger presidente, deputado e qualquer outro cargo na política governamental. Se perguntar a qualquer um deles, se o partido adversário exerce a democracia, a resposta de ambos é “Não” (O PSDBista eventualmente encheria a linguiça, mas no fim ele só queria dizer não. Tudo bem, nós eu consigo te entender, não fique chateado).

A Democracia talvez nunca tenha saído do papel. Mesmo na Grécia antiga já havia corrupção. Não no sentido monetário, como hoje. Mas nas Ágoras existia um grande jogo de influência, onde um grande grupo seguia as ideias de um único home, ou de um grupo menor de homens, fazendo aquilo ser o “desejo da maioria”. E é daí que vem o sofismo de nossos queridos políticos. E claro, embora Democracia signifique algo como “O poder do povo”, apenas homens, que fossem livres, poderiam participar. Algo que, de certa forma, ainda ocorre hoje, uma vez que dificilmente se vê pessoas pobres, negros ou mulheres se elegendo.

Mas o que me chamou a atenção nas últimas semanas, não é as atitudes de baixaria da revista ‘Veja’, ou o racismo nas redes sociais, pois é algo que, com um leve aperto no coração, eu já esperava. O que me chamou atenção foi o senso democrático, por parte dos partidários do PSDB, ou pessoas Pró-Aécio. Vi diversos vídeos de pessoas, que diziam que vivemos em uma ditadura, e que o PT (referido, muitas vezes, como uma entidade, uma pessoa, na maioria das vezes maligna) não respeita a liberdade dos cidadãos. Alguns diziam em um leve tom de desespero, quase que suplicante. O que eu não esperava era a reação da maioria dessas pessoas, frente a vitória da Dilma. A maioria delas aclamou por separatismo, alguns falaram em intervenção militar e uma minoria pedia o impeachment. Eu sinceramente achei cômico, em um primeiro momento, mas enquanto conversava com meu camarada Luyz, percebi o quanto a situação era séria: Essas pessoas se demonstraram filhinhos de papai mimados. ‘Pera aí… É exatamente isso que eles são! Pessoas que a família tem dinheiro há, pelo menos, quatro gerações, estudam em escolas particulares, fazem cursinho de inglês e se acham no direito de falar mal do Bolsa Família.

Então quando o PT está no poder, ele não respeita a democracia, mas quando seu candidato perde, você não aceita isso e quer separar o sul, sudeste e centro oeste? Achei que éramos uma única nação e deveríamos lutar Brasil, como diziam há um tempo atrás. Por isso digo que as pessoas que pedem separação são burras e não sabem da grande merda que estão falando. E não apenas pelo senso democrático: o buraco é mais fundo.

Os Separatistas ignoram o fato de que o maior índice de abstenção de votos, votos nulos e brancos, como forma de protesto, foi no sudeste. Essas pessoas não queriam nem Aécio e nem Dilma, essas pessoas não queria nenhum desses merdinhas. E se separarem esses estados, e torná-los um país, dominado pelo PSDB, saibam que haverá guerra civil, isso partindo da concepção de que essas pessoas são anarquistas, mas claro que isso é apenas uma aproximação, uma vez que algumas pessoas nessa lista apenas não se importam com a política.

Outra coisa que eles [os Separatistas], se esquecem é que grande parte da cultura brasileira, assim como museus e diversos pontos turísticos (não tão lindos como os da Bahia, mas aceitáveis), estão localizado no Sudeste e no Sul. Privar as outras pessoas do Brasil de acessarem essas coisas, é algo totalmente elitista. Se bem que isso não é um problema, para essas pessoas…

Além do fato da maioria dessas pessoas se esquecerem que somos uma única nação, e que o Brasil não ficou nas mãos do nordeste, e que os nordestinos não atrasam os Brasileiros, porque o Brasil ficou nas mãos dos brasileiros, e se eles escolheram a Dilma, os outros devem calar a boca e respeitar a decisão da maioria. E não agir igual putinhas mimadas, que ficam chorando, porque o papai disse não.

As pessoas se esquecem de que o Aécio não é nenhum salvador da pátria, ele mesmo disse que manteria relações com Cuba, disse que manteria o Bolsa Família. No fim, o que falta as pessoas é senso, nenhum político quer ser seu amiguinho, eles visam algo chamado progresso, que nem eles sabem ao certo o quê é, exigem sacrifícios e pedem para você pular da ponte, e ao votar neles, você pergunta: “Qual ponte?”

Anúncios