Guia para criação de Coquetéis Molotov

“You’re small as a beetle or big as a whale. BOOM! Atomic Cocktail” – Slim Gaillard

1

Com os diversos acontecimentos políticos e sociais do mundo, muitas pessoas têm se perguntado como fazer Coquetéis Molotov. Esse guia tem o intuito de ensinar-lhes os conceitos básicos de um Molotov, desde sua história, sua composição e métodos de se usar.
O conceito de um Molotov é simples, ele é uma bomba incendiária e sua utilidade vem do fogo. Todo seu efeito é a queima do combustível para a geração do fogo, que se alastrará por uma grande área.
Para entendermos melhor o quê de fato é um Molotov, devemos buscar a sua origem. O termo Molotov foi um termo usado pelos finlandeses, quando a Rússia invadiu a Finlândia, no que ficou conhecido como Guerra de Inverno. O termo foi atribuído ironicamente, uma vez que o diplomata Vyacheslav Mikhailovich Molotov disse, por meio de um programa de rádio, que os soviéticos não estavam atirando bombas contra os finlandeses, mas sim fornecendo-lhes comida. E como homenagem ao grande diplomata, os finlandeses deram os nomes as bombas de Coquetéis Molotov. Contudo é notável dizer que essas bombas não foram invenções finlandesas, essas bombas são usadas desde que foi descoberta a reação da gasolina (e do petróleo) com o fogo. É interessante pensar que os árabes já usavam bombas de impacto por volta do século 17, compostas de um vaso cerâmico com pólvora, que ao se chocar com o chão causava a explosão.
Para se preparar um Molotov é bem simples. Sua essência é usar algum tipo de combustível inflamável, como petróleo puro, gasolina, álcool etílico e, até mesmo, uísque. O preparo é algo fácil, até mesmo uma criança poderia fazer, mas é necessário alguns cuidados especiais para evitar cagadas. Para fazer um Molotov será necessário: Algum combustível (de sua preferência, e que seja acessível a você), uma garrafa de vidro, um pedaço de pano e um isqueiro. Explicaremos isso mais profundamente em breve.
Existem diversos tipos de substâncias para se usar num Molotov, cada uma tem um nível de dificuldade de aquisição e seu nível de potência. Você pode se entregar à facilidade e à comodidade e comprar álcool etílico, que é vendido comumente em qualquer supermercado, também conhecido como álcool de cozinha. É barato. Recomendo a compra de álcool de churrasco, que tem um teor de álcool um pouco maior que a maioria. O risco de suspeita nesse caso é mínimo e a potência dessa bomba será mínima.
Você pode tentar fazer uma bomba com uísque, que é uma bebida com um teor alcoólico altíssimo. Recomendo o uso de um Jack Daniels, por ser uma bebida forte. É necessário que o uísque tenha mais que 15 anos para garantir a qualidade da bomba. É importante notar que pode não funcionar com todos os tipos de uísque. Uma bomba de uísque tem a suspeita baixa e potência moderada.
As bombas mais potentes são geralmente as de gasolina e as petróleo. Caso tenham interesse, é necessário seguir cautelosamente as dicas à seguir. O risco de perceberem suas intenções durante a compra de gasolina é bem grande, ainda mais em tempos como esses, em que há diversas revoltas populares. Existem várias maneiras de se adquirir gasolina, eu mostrarei 3 jeitos diferentes. A gasolina é bem mais fácil de se adquirir do que o petróleo. Para a aquisição de gasolina, você precisará de um amigo, uma garrafa pet e um carro velho. Estacione o carro uma quadra abaixo do posto de gasolina, de uma maneira que o carro esteja visível do posto de gasolina. Você deve andar até o posto e pedir para o cara encher a garrafa pet para você, é muito fácil que eles aceitem. Caso neguem o seu pedido, mostre seu amigo. Diga algo como: “Por favor, cara, meu carro parou uma quadra abaixo e não tenho como voltar para casa. Minha mãe é uma senhora de idade e ficou sozinha em casa. Estamos eu e meu irmão dentro do carro”. Aponte para o carro, nesse momento o seu amigo/irmão deverá acenar para vocês, como se indicasse aonde se localiza o carro. O frentista com toda a certeza poderá ser sensibilizado e venderá a gasolina para você. Outra maneira de fazer é comprar um galão de gasolina, a venda de gasolina por intermédio do galão é regulamentada pela lei. É uma maneira que não dá problemas, mas que é necessário desembolsar um pouco mais de dinheiro. A terceira maneira é a mais complicada e pode infligir danos ao usuário. Para isso é necessário ter um carro. Você deve abastecê-lo normalmente e preencher a garrafa pela velha técnica de sucção, com uma mangueira. Não é recomendado esse uso, pois pode haver ingestão da gasolina, o que pode causar danos à curto e à longo prazo. Uma bomba feita com gasolina tem risco de suspeita alto e potência boa/aceitável.

2

O tipo de Molotov mais potente é o Molotov feito com o petróleo. A aquisição do petróleo é algo bem complicado e tem suspeita altíssima. Eu deixaria de falar como adquirir petróleo, por se tratar de uma prática ilícita, mas é interessante notar que carregar Molotovs é ilegal. Infringe a Lei 10.826/03 da constituição brasileira. Pois bem, para comprar petróleo é necessário ter acesso a mercados paralelos, ou ter conhecidos e contatos nessa área. O porte de petróleo pode atrair uma suspeita Altíssima, mas sua potência é magnífica, a melhor dentre todos coquetéis Molotovs.
A preparação do Molotov é a coisa mais simples. Para isso você precisará da garrafa, um funil e o combustível. Você deve posicionar a garrafa em uma superfície plana, posicioná-la com o bocal virado para cima. Insira a boca do funil cuidadosamente dentro da garrafa e insira todo o combustível. Para um efeito melhor e para evitar acidentes, é recomendado preencher apenas 2/3 da garrafa. É muito importante não deixar o combustível escorrer pela garrafa, pois pode causar problemas sérios. Depois é necessário pegar um pedaço de pano, são considerados pedaços bons as tiras de pano velhos, que já estão podres e rasgam facilmente. Retire um pedaço de 20cm a 30cm, e molhe 5cm da ponta, que deverá ficar para fora do bocal da garrafa. Essa ponta é a ponta que segurará o fogo, ele será o pavio da bomba.

3

O funcionamento de um Molotov pode ser de duas maneiras. A primeira, que é a convencional, onde você acende o pavio e o arremessa em seu alvo. Dessa maneira o Molotov funciona no impacto, ou seja, quando a garrafa se quebrar, ela espalhará o líquido por todo o chão, ou por todo o alvo. O pavio que estava em chamas acende esse líquido que se espalhou. É interessante notar que esse efeito é instantâneo, e é impossível ser percebido sem uma câmera que grave diversos frames. A segunda maneira seria como uma bomba convencional, onde você molha todo o pavio, ao acendê-lo ele queimará inteiro e, quando alcançar o combustível, explodirá. Dessa segunda maneira é interessante usar corda como pavio. É interessante notar, que dessa maneira ela tem dupla utilidade, uma vez que fragmentos de vidro voarão e o fogo também se espalhará.
Para se transportar um Molotov é comum usar uma mochila, você os coloca montados dentro da mochila e os envolve com pedaços grossos de pano, para evitar o atrito, que pode causar uma quebra na garrafa. E também para evitar que haja uma evasão do líquido, que possa molhar sua mochila, e causar acidentes. Na hora de retirá-los da mochila é interessante pegá-los pelo bocal e levantá-los rentes. O manuseio é simples, o usuário só deve se atentar de afastar a garrafa e o pavio de seu rosto e cabeça, para evitar que ele mesmo se queime. É interessante usar apenas 2/3 da garrafa para poder incliná-la e poder alcançar um ângulo melhor para arremesso.
Com o Molotov em mão divirta-se tentando fazer revoluções. Mas lembrem-se que andar com Molotovs é caracterizado como porte ilegal de armas e pode lhe proporcionar por volta de 3 à 4 anos de cadeia. O autor desse texto não se responsabiliza por mal uso desse tipo de conhecimento. Todo e qualquer dano por parte de usuários é dele e apenas dele.  Lembrem-se: O telhado está em chamas, mas nós não precisamos de água, deixe o filho da puta queimar!

4

Imagens por: Porco do Transtorno

Anúncios